quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Em Assu o clima é tenso com uma possível cassação do futuro mandato de Gustavo Soares

Com a crescente possibilidade do prefeito eleito pelo PR Gustavo Soares ter as contas de campanha eleitoral de 2016 desaprovadas, provocando um grande rebuliço, e o impedindo de ser diplomado e posteriormente ter o seu mandato cassado de forma definitiva por decisão do TRE/RN ou TSE, a eleição do futuro presidente da Câmara de Vereadores do Assú ganha maior importância nesse cenário de incerteza política, enquanto não for julgado o pedido de impugnação do Ministério Público eleitoral.
Gustavo Soares pode ser absolvido, ter as contas aprovadas e assumir tranquilamente o cargo de prefeito de Assú a partir de janeiro de 2017, mas se tiver a prestação de contas desaprovadas, corre o risco de não assumir ser for cassado, complicando mais ainda a situação do quadro político que poderá levar o novo presidente eleito da Câmara de Vereadores a assumir interinamente a chefia do executivo até a data marcada para a eleição suplementar para prefeito de Assú.

Com esse clima de indecisão e dúvida política, crescem as chances de um dos dois vereadores eleitos do PR João Wálace ou Wedson Nazareno, vencer a disputa para presidente do legislativo como medida de precaução e preventiva para evitar que o comando interino do Poder Executivo não caia nas mãos de um dos nove vereadores governistas eleitos.
______________________________________

Nenhum comentário: